março sem fundo

Segurança em grandes eventos, como executar.

O mundo se tornou um lugar onde conflitos e interesses, principalmente em eventos como shows, reuniões de líderes mundiais, celebrações religiosas, festas regionais e eventos esportivos com muitos torcedores rivais, ou seja, festas da humanidade e momentos de celebração, pessoas com más intenções aproveitam para tirar vantagens e dar seu recado (independente da motivação), traficar drogas, causar danos para conseguir lucros ou gerar prejuízos a concorrentes.

O Brasil certamente não fica para trás, após a Copa do mundo de 2014 e Olimpíadas de 2016 ambas sediadas aqui no país, surgiu a gestão de segurança para grandes eventos, que de acordo com a PORTARIA Nº 3.233/2012-DG/DPF, de 10 de dezembro de 2012, dispõe sobre as normas relacionadas às atividades de Segurança Privada.

Cada vez mais, o uso da tecnologia para facilitar a gestão, vem sendo habilitado e sendo essencial nessas operações, sistemas e softwares como VMS, analíticos, câmeras de reconhecimento facial, controle de acesso e banco de dados, tudo integrado em uma Central de Comando e Controle.

Contudo nesse blog, não trataremos desse assunto, pois o que queremos descrever é como preparar uma equipe de segurança.

A segurança de grandes eventos com público superior a três mil pessoas devem ser realizadas por empresas de segurança com registro na Polícia Federal, vigilantes habilitados em curso de extensão em segurança para grandes eventos.

Requisitos básicos para um vigilante ou agente de segurança em eventos:

  • Lidar com o público, sendo cortês e ter ampla visão.
  • Conhecimento de primeiros socorros. 
  • Habilidades de autodefesa.
  • Conhecimento de detecção de comportamentos anormais, conhecer pessoas agressivas ou sob uso de drogas lícitas (álcool ou ilícitas diversas). 

 

Análise de risco e como planejar a segurança de um grande evento.

Ao organizar a segurança do evento, deve-se conhecer o local e a intenção do organizador, número de pessoas esperadas, entender o seu entorno e definir o plano de gerenciamento do evento, assim dividindo em 5 tópicos de atenção:

1. Início:

  • Gerenciamento de acesso ao local, identificação do entorno onde pessoas deverão chegar e depois sair;
  • O Steward ou controladores, devem indicar o fluxo para acesso da multidão;
  •  

Essa é a primeira barreira de checagem, onde existe um pré-alerta à gestão do evento (CCO).

2. Credenciamento:

  • Executar atividades ligadas a identificação e controle de acesso ao local do evento;
  • Realizar revistas pessoais;
  • Identificar objetos e substâncias proibidas ou suscetíveis a possibilitar atos de violência;
  • Identificar práticas de burlas por maus espectadores ao sistema de controle.

3. Gerenciamento da multidão:

  • Atender e responder aos problemas do público no campo.
  • Oferecer ajuda, dar informações, orientar e indicar acessos;
  • Contribuir com o conforto e bem-estar dos frequentadores, com especial atenção aos portadores de deficiências, menores e idosos;
  • Defender o respeito a diversidade e as diferenças entre as pessoas, principalmente no que se refere a orientação sexual e combate ao racismo;
  • Promover a calma dos frequentadores em situações de estresse e conflitos;
  • Prevenir crimes;

4. Gerenciando a segurança do evento:

  • Praticar atividades básicas de prevenção e combate a incêndios;
  • Adotar providências adequadas em caso de sinistros, principalmente na evacuação de recintos;
  • Prestar assistência inicial em caso de emergência através de técnicas de primeiros socorros, com o intuito de preservar a vida, minimizar os efeitos das lesões e auxiliar na recuperação do sinistrado;
  • Resolver, adotando o uso progressivo da força, as situações de emergência relacionadas a comportamentos impróprios de pessoas, incidentes estruturais ou tumultos generalizados;
  • Tomar as primeiras providências e preservar o local do incidente no caso de forças públicas ou serviços públicos serem demandados a intervir, repassando com presteza a ocorrência com todas as suas circunstâncias e medidas tomadas;
  • Identificar e comunicar as autoridades competentes, comportamentos antissociais, racistas, xenofóbicos ou contra crianças e idosos;
  • Empregar técnicas de dissuasão de tais comportamentos, quando suficiente para encerrar a ocorrência, sem deixar de fazer o devido encaminhamento às autoridades públicas quando a ocorrência caracterizar ilícito penal;
  • Desenvolver atitudes para neutralizar violação de regras;
  • Desenvolver respostas a incidentes;
  • Executar cortina humana para impedir avanços de multidões e outros gerenciamentos e separação de conflitos, como contenções e escoltas.

5. Encerramento:

  • Evacuação ordenada e segura de um grande número de pessoas ou do número total de participantes em casos de risco;
  • Acompanhamento do entorno com os controladores de acesso;
  • Checagem final do interno, com rondas nos locais como banheiros e outros;
  • Fechamento dos portões. 

Em momento de Copa do Mundo queremos mostrar a vocês o grau de dificuldade de organizar a segurança de um evento de grande porte e se preocupar com a sua criticidade, vulnerabilidade e riscos, tendo a preservação da vida como a prioridade, sem menosprezar os agentes externos que esperam a fragilidade da organização para agir.

O serviço tem que ser dimensionado à profissionais com experiências para execução, o Grupo Alpha Secure possui técnicos com conhecimento para realizar esse dimensionamento e execução.

Quer saber mais? Fale com nossa equipe, ficaremos felizes em auxiliá-lo.

Grupo Alpha Secure – Gestão de risco.

Post tags :

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagem mais comentada

Canal de denúncia: entenda, utilize e nos ajude a melhorar.

O canal de denúncias tem como objetivo de dar voz aos denunciantes, de forma anônima e com segurança ...

Postagens Anteriores