Design sem nome (31)

Como fazer para reduzir lixo doméstico?

A vida em casa tem sido uma tendência mesmo pós pandemia, assim famílias em home office, uns trabalhando outros perderam o emprego, com a facilidade e bom preço do delivery, aumentam os pedidos, após almoço, resto de alimentos vão para o lixo, pedidos pela internet (encomendas), brincando com os pets, limpando, usando o banheiro. No final do dia, a surpresa: lata de lixo cheia. De onde veio todo esse lixo?

Essa situação também acontece na sua casa? O simples fato de viver o cotidiano gera uma quantidade preocupante de lixo doméstico. No Brasil, a produção de lixo doméstico cresce, conforme indicadores o aumento ocorre em torno de 2% a 3% ao ano. 

Todos que valorizam a saúde do planeta se questionam sobre como reduzir o lixo em casa. Conscientes, as pessoas cada vez mais estão adquirindo hábitos sustentáveis, o que é bem positivo.

Informação: Fonte: Pref. Cidade de São Paulo, mostra que em 2020 a coleta seletiva de matérias reciclável teve aumento de 30%, aumento na tendência de compras online recebido em casa. Os dados mais recentes divulgados, mostram aumento de mais que 50%. Essa composição tem o plástico (16,49%), papel e papelão (13,16%), vidro (2,34%), material ferroso (1,56%), alumínio (0,51%) e outros materiais (8,56%). O número e assustador com uma geração de lixo estimada em 160 mil toneladas diárias de resíduos sólidos urbanos no País. 

Ainda que destinar para a reciclagem o lixo seco seja fundamental, o processo de construção de um mundo melhor exige reduzir o lixo gerado em casa, seja ele reciclável ou orgânico. Dito isso nossa proposta aqui e trazer ideias de sustentabilidade como um valor social, assim buscar ideias para repensar alguns hábitos e gerar uma quantidade menor de lixo.

São 10 ações simples, mas que podem fazer uma grande diferença:

1. Consumo consciente

Repensar a forma como fazemos compras: Embalagens normalmente acabam indo para o lixo, então uma dica é optar por produtos a granel, diminuindo então a circulação de embalagens e ainda economizando um pouco, já que esses produtos são geralmente mais baratos. 

Caso a adição de embalagens seja completamente necessária, opte por produtos com as embalagens de papel, vidro e metal, que podem e devem ser reaproveitadas ou corretamente recicladas. Por exemplo, os potes de vidro de requeijão podem virar copos na sua casa.

Há também as embalagens retornáveis: você compra o produto, usa e, na hora de adquiri-lo novamente, leva a embalagem. Além de tudo, ainda consegue um desconto.

Outra dica ligada ao consumo consciente é evitar ao máximo a compra por impulso. Quando isso acontece é quase inevitável comprarmos algo que acabamos não usando ou não gostando e o produto vai acabar no lixo. 

Para evitar isso, faça uma lista, compre gradualmente e apenas o que for consumir. Se você é do tipo que sempre acaba comprando uma garrafa de água ao longo do dia, se organize e leve uma garrafinha de casa.

Dica: Doe as roupas e sapatos em bom estado, se não quiser utilizá-los. Se você não os usa, ao invés de ficar ocupando espaço, podem servir para outras pessoas ao invés de irem para o lixo.

2. Cuidado com o delivery

O delivery deixou de ser algo pedido de vez em quando para ser requisitado quase todos os dias, senão diariamente. No entanto, já parou para pensar na quantidade exorbitante de embalagens que esse sistema gera? 

Sabemos que a comida caseira é sempre a melhor opção para a nossa saúde e a do planeta. No entanto, se for optar pelo delivery, preze pela escolha de estabelecimentos que possuam embalagens recicladas e lembre-se sempre de fazer a sua parte: lavar as embalagens plásticas, secá-las e separá-las para reciclagem. 

Isso vale para o delivery de compras como roupas ou outros produtos. Os produtos comprados na internet e aplicativos são geralmente enviados com muita embalagem. Mudar essa tendência faz parte do conceito de consumo consciente também.

3. Aproveite todo o alimento

Você é o tipo de pessoa que descasca o abacaxi e joga a casca fora? Se sim, você está devendo um pedido de desculpas à natureza. 

Você pode utilizar cascas, talos e folhas em novas receitas, como, por exemplo, doce de casca banana; suco ou chá de casca de abacaxi ou caldo de talos de legumes. Apesar de a composição do lixo orgânico ser mais rápida do que derivados do petróleo, ele é muito volumoso em uma residência. 

4. Compostagem

Quando não for possível aproveitar tudo dos alimentos, sempre tem a opção da Compostagem. Essa é um tipo de reciclagem feita com o lixo orgânico. Ou seja, com ela é possível transformar os restos de alimentos em adubo.

É possível ter uma composteira em casa, inclusive em apartamentos. Formada por três caixas apropriadas empilhadas, essa estrutura recebe restos de determinados alimentos e folhas secas, que se decompõem e viram adubo.

Quando montada corretamente, a composteira não atrai insetos e não cheira mal. Alguns resíduos orgânicos, porém, não podem ser compostados: frutas cítricas, derivados de trigo, carne, laticínio, arroz, cebola, alho, fezes de animais e plantas doentes. 

5. Sacola do mercado

Um hábito que precisamos criar, em diminuir a circulação de sacolas plásticas!

As sacolas plásticas têm um longo tempo para decomposição, com estimativa de 400 anos. Mais práticas, as sacolas de pano, as chamadas ecobags, são muito resistentes e servem para diversas situações, além de poderem ser personalizadas com a estampa de seu gosto, durarem bastante e poderem ser lavadas na máquina com um pouco de sabão, da mesma forma que lavamos as roupas. Ao comprar no supermercado você também pode utilizar caixa de papelão, assim você pode encaminhar para a coleta reciclável.

6. Aproveite a era digital

É inacreditável a quantidade de papel que descartamos, então, por que não aproveitar que estamos na era do digital e adotar os e-books para reduzir essa quantia?  

Pedir para receber seus boletos por e-mail, em vez da usual correspondência de papel, também é um bom passo para eliminar impressões desnecessárias, assim como recusar a segunda via do cartão de crédito, sempre que fizer um pagamento.

7. Separação de lixo

Sempre separe latas, vidros, embalagens de plástico e tudo o que puder ser reaproveitado para a coletiva seletiva. 

O lixo doméstico deve ser separado em: papel, vidro, plástico, metais, lixo orgânico e resíduos indiferenciados. 

Os resíduos indiferenciados, compreende o que sobrou depois da separação e que não pode ser reciclado ou reutilizado. Esses resíduos vão para no lixo comum, retirados pela companhia de limpeza que atende à sua residência. 

Mas lembre-se: isso não inclui nenhum tipo de eletrônico, pilha ou bateria. Esses elementos devem ser devolvidos aos fabricantes dos produtos ou direcionados aos pontos de recolha especializados na sua cidade.

8. Descartáveis são uma péssima ideia, pense no reutilizável

À primeira vista, os utensílios descartáveis parecem ser a salvação para quem odeia lavar a louça.  

Se o seu objetivo é reduzir a quantidade de lixo produzida em casa, porém, os descartáveis são um dano para a natureza incalculável.

Dica, canudos, não devem ser utilizados pois são feitos de plástico, quem gosta do canudo, existem os reutilizáveis.

A reutilização colabora enormemente para o gerenciamento do lixo, reaproveitando uma matéria-prima que seria simplesmente descartada em lixões e aterros ou queimada. Potes de sorvete, por exemplo, podem ser usados novamente para armazenar alimentos, transportar refeições ou objetos menores, como brinquedos. Fitas e papéis de presentes antigos podem ser guardados para serem usados novamente, ou aplicados no artesanato.

9. Compras on-line

A internet realmente faz cada vez mais parte do nosso dia a dia. Entretanto, os produtos comprados em e-commerce e enviados para a sua casa geralmente exigem muita embalagem. Mudar essa tendência faz parte do conceito de consumo consciente.

Importante: Você já olhou como são acomodadas as compras na guarita do seu condomínio, os locais não estão preparados para essa demanda e precisam de uma adaptação.

10.    Obras em casa

Obras costumam gerar muito lixo. Mas é possível planejar maneiras de reduzir os resíduos gerados na obra. Tijolos, cerâmicas, rochas, concreto, solos, metais, resinas, colas, tintas, madeiras, forros e outros produtos precisam de um destino adequado, pois não vão para o lixo comum. Contrate o serviço de caçamba que tenha referência, e nunca, jogue descarte de obra para o lixo comum.

Estamos atentos às transformações do mercado, todos fazemos parte do mesmo planeta, aliás, se não cuidarmos, ninguém fara por nós, e o futuro das próximas gerações estará comprometido.

ALPHA SECURE, evoluindo pessoas!
Março/2024

Post tags :

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagem mais comentada

Canal de denúncia: entenda, utilize e nos ajude a melhorar.

O canal de denúncias tem como objetivo de dar voz aos denunciantes, de forma anônima e com segurança ...

Postagens Anteriores