Ronda Patrimonial, entenda e não erre mais.

Ronda Patrimonial, entenda e não erre mais.

Ronda é uma estratégia de proteção, utilizada em empresas de grande porte, indústrias e condomínios. É um trabalho especificado na operação de segurança patrimonial.

Quando se planeja uma estratégia de segurança, o serviço de ronda patrimonial é bastante utilizado para locais de grandes áreas de cobertura, o serviço pode ser realizado através de seguranças a pé ou motorizados, sempre respeitando o artigo 18 da portaria 3233/12 do DPF e dentro dos limites do imóvel vigiado, nunca sendo realizado do lado externo, pois se descaracteriza a função para que foi criada e é uma responsabilidade da Polícia Militar.

Para a ronda, podemos utilizar o vigilante habilitado, uniformizado e com acessórios para controle, tipo bastão de ronda ou sistemas de controle da ronda. Há duas formas de realizar o serviço, o vigilante a pé ou o vigilante motorizado, utilizando veículo, moto ou até um segway (patinetes elétricos). A norma do DPF que regulamenta a prestação de serviço, proíbe este tipo de serviço com porteiros, vigias, fiscais e entre outros.

Regra básica: o serviço de ronda nunca pode ser feito por vigias, fique atento as armadilhas.

O serviço tem um caráter de ostensivo e quando empregamos auxilio de motorização aumentemos a área a ser vigiada, isso garante mais eficiência ao serviço da segurança patrimonial. O rondista consegue estar atendendo a programação da segurança planejada no perímetro, quanto atender os postos fixos, em suporte da operação, apoios para intervalos de seus colegas, controle dos visitantes, além de acompanhamento de terceiros dentro das unidades a serem controladas.

Planejar é fundamental, peça ajuda de um especialista.

Tenha cuidado aos seguintes itens:

  • Qual o objetivo da sua ronda a ser realizada?
  • Qual o meio a ser empregado, a pé ou motorizada?
  • Onde deverão ser colocados os pontos de controle de checagem para haver a evidência de ronda?
  • Qual o tempo de duração da ronda e/ou sua repetição?
  • Existe apoio de um sistema de câmeras de segurança?
  • Qual o plano de contingência no caso de perdermos contato com o rondista?

Na preparação do vigilante, o que ele tem que saber?

  • Ter conhecimento do local;
  • Estar equipado de material para realização do serviço, tipo capa de chuva e botas impermeáveis;
  • Finalidade da ronda e objetivos claros para serem atingidos pelo profissional;
  • Ter plano de emergência definido, para dar segurança ao vigilante;
  • Ter conhecimento técnico para saber lidar com as ocorrências;
  • Fazer uma passagem de turno com detalhamento do serviço realizado e ocorrências. Pré-eleição com o responsável que está saindo, além de anotar tudo no livro de ocorrências.

Para aumentar a eficácia, podemos incluir outros equipamentos:

  • Lanternas para serviço noturno;                    
  • Apito para sinalização ou advertência;
  • Bastão de ronda ou registro eletrônico, além de rastreadores pessoais ou veiculares;
  • Câmeras inteligentes para tracking do segurança;              
  • Cães de guarda, adestrados para inibição e ataque de invasores;
  • Armas liberadas pela DPF e armas não letais, como taiser de choque elétrico;     
  • Serviço de ronda via Drones, tecnologia nova que deve ser realizada por operadores, com certificado de segurança patrimonial, ou seja, um vigilante operador.

Nossa empresa tem conhecimento, técnica e tecnologia para montar um plano estratégico de ronda para sua organização, nossas ações são claras, objetivas e eficientes para ajudar a você manter protegido tanto o seu negócio quanto o seu lar.

Dica: A segurança se faz com técnica e prevenção, já os detalhes que fazem a diferença no serviço de qualidade.

Consulte nós! Temos mais informações para você!

Grupo Alpha Secure.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Outros conteúdos:

Veja por categoria: